image


Enchente

Mais sete municípios decretam situação de emergência por conta da cheia no AM

De acordo com o Centro de Monitoramento e Alerta do Amazonas, 229.603 pessoas já foram afetadas pela enchente deste ano no Estado
image Crédito: Divulgação/Defesa Civil do Município de Anamã- Vista aérea do município
Fonte: Ana Kelly Franco - Há 2 semanas

As prefeituras de Anamã, Barreirinha, Careiro, Nova Olinda do Norte, Tonantins, Uarini e Urucará, a 195 km, a 331 km, a 135 km, a 865 km, a 565 km e a 208 km de Manaus respectivamente, decretaram situação de emergência por conta da cheia dos rios no Amazonas.

Os decretos foram publicados no Diário Oficial dos Municípios (DOM) nesta terça-feira, 17, e assinados pelos gestores municipais: Francisco Nunes Bastos, Glenio José Marques Seixas, Natan Damasceno de Souza, Adenilson Lima Reis, Francisco Sales de Oliveira, Hudson Praia Frazão e Erico de Souza Falabella.

Envie esta notícia no seu Whatsapp

Envie esta notícia no seu Telegram

De acordo com informações do DOM, 35 municípios já decretaram situação de emergência por conta da subida dos rios no interior do Estado.

Segundo o Centro de Monitoramento e Alerta (Cemoa) da Defesa Civil do Amazonas, 229.603 pessoas e 57.401 famílias já foram afetadas pela enchente deste ano.

Anamã

O município declarou situação de emergência por 180 dias, a subida do Rio Solimões já ultrapassou a cota de alerta de 15,40 metros.

A enchente já causa transtorno no município e vários pontos de alagações.

A maior cheia registrada na cidade foi de 18,25 metros registrada em junho de 2021.

A chuva que vem caindo na região tem aumentado o nível do rio.

"O município encontra-se atingido [pela cheia] nas suas áreas urbana e rural. A inundação causa danos causados na saúde, na infraestrutura, na educação, na assistência social, na segurança do patrimônio e na segurança dos munícipio", diz um trecho do DOM.

Barreirinha

O município declarou situação de emergência por 90 dias por conta da subida dos Rios Andirá e Paraná do Ramos. O nível dos rios já ultrapassou a cota de alerta de 15,40 metros.

Nove bairros da Zona Urbana e mais de 20 comunidades da Zona Rural já foram afetados por conta da enchente no município.

A maior cheia registrada em Barreirinha foi de 16,19 metros registrada em junho de 1999.

A enchente já resulta em os danos humanos, materiais e ambientais e os prejuízos econômicos e sociais principalmente na saúde da população.

___________________

RELACIONADAS

+ Iranduba, Boa Vista do Ramos, Maués e Urucurituba, no AM, decretam situação de emergência

+ Jutaí, no AM, decreta situação de emergência por conta da cheia do Rio Jutaí

+ Cidade de Juruá, no AM, decreta estado de emergência por conta da cheia do Rio Juruá

Careiro da Várzea, no AM, decreta situação de emergência por conta da cheia do Rio Solimões

+ Autazes, no AM, decreta situação de emergência por conta da cheia dos rios Autaz-Açú e Madeira

Eirunepé, no AM, decreta estado de emergência por conta da cheia do Rio Juruá

Careiro da Várzea, no AM, vai gastar R$ 1,8 milhão com passarelas de madeira por conta da cheia do Rio Solimões

+ Atalaia do Norte, Caapiranga e Santo Antônio do Içá, no AM, decretam situação de emergência por conta da subida dos rios

___________________

Careiro

O município declarou situação de emergência por 180 dias. A subida dos rios já afeta 2.917 famílias, cerca de 11.668 pessoas atingidas pela inundação.

A enchente já causa prejuízos na agricultura, plantações e pastos de rebanhos.

Segundo o DOM, o imagens de satélite mostram as áreas de instabilidade, com possibilidade de provocar chuvas com grande intensidade no Município do Careiro, causando transbordamento de duas calhas de rios e lagos, sendo monitorado desde o dia 22 de Abril.

Nova Olinda do Norte

O município declarou situação de emergência por 90 dias. O nível do rio Madeira no dia 31 de abril registrou na régua milimétrica de 19,10mm, alcançando a cota de transbordamento.

A enchente já causa danos à produção rural, prédios públicos municipais e bens materiais dos civis, calculados aproximadamente em R$ 4.977.700,00.

Tonantins

O município declarou situação de emergência por 180 dias por conta da subida do Rio Solimões.

No dia 10 de maio, o nível do rio atingiu a cota de 13, 80 metros e já causa rompimento de barragens na cidade.

A subida do rio já causa danos humanos, materiais e ambientais, e prejuízos econômicos públicos e privados.

"O elevado nível da enchente nos últimos dias resultaram em enchentes e deslizamentos em encostas que colocam em risco inúmeras habitações, expondo a risco de morte considerado contingente de pessoas, além de danos materiais, ambientais e prejuízos econômicos", diz um trecho do DOM.

Uarini

O município declarou situação de emergência por 180 dias por conta da subida do Rio Solimões em Uarini.

A enchente afeta famílias, destruindo plantações, criações, e diversos problemas no âmbito social e ambiental.

O município não informou a quantidade de pessoas afetadas pela cheia.

Urucará

O município declarou situação de emergência por 180 dias por conta da subida do Rio Uatumã. A enchente afeta famílias e causa prejuízos na cidade.

"A subida do rio e dos igarapés já atingindo índices muito acima da normalidade ocasionando danos materiais, ambientais, econômico e sociais, desabrigando famílias, ocasionando perdas de animais, produção agrícola e problemas de saúde na população", diz um trecho do DOM.

O município não informou a quantidade de pessoas afetadas pela cheia.

 

______________________________

ACESSE TAMBÉM MAIS LIDAS

 

image

 
 
 

image

 
 
 

image

 
 
 

image

 
 
 

image

Tags