image


Enchente

Iranduba, Boa Vista do Ramos, Maués e Urucurituba, no AM, decretam situação de emergência

Mais de 14 mil pessoas já estão sendo atingidas com a subida dos rios nos municípios
image Crédito: Divulgação/Defesa Civil de Urucurituba
Fonte: Ana Kelly Franco - Há 3 semanas

A Prefeituras de Boa Vista do Ramos, Iranduba, Maués e Urucurituba, a 269 km, a 27 km, 276 km e 218 km de Manaus respectivamente, decretaram situação de emergência por conta da cheia dos rios Negro, Solimões, Amazonas e Maués-Açu.

Os decretos foram publicados no Diário Oficial dos Municípios (DOM) nesta segunda-feira, 16. Em Boa Vista do Ramos, o prefeito em exercício Amadeu Júnior Andrade Rodrigues assinou o decreto. Nas outras cidades foram os gestores municipais: José Augusto Feraz de Lima, Sérgio Mazzini Leite Filho e José Claudenor de Castro Pontes.

Vinte e oito municípios já decretaram situação de emergência por conta da subida dos rios no interior do Amazonas.

Envie esta notícia no seu Whatsapp

Envie esta notícia no seu Telegram

Boa Vista do Ramos

O município estava em estado alerta desde do dia 11 de abril. A situação de emergência foi declarada por 180 dias.

A defesa Civil de Boa Vista do Ramos já cadastrou mais de 600 famílias que estão sendo afetadas por conta da subida do rio.

De acordo com dados da régua pluviométrica do Porto de Parintins, a enchente deste ano está faltando 2,0 metros para alcançar a marca histórica de 11,24 metros.

"O alto índice pluviométrico fez subir o nível das águas nos principais rios e afluentes de nosso município causando inundações graduais no meio rural e Urbano, alagamento de estradas vicinais seguido de isolamento de várias famílias", diz trecho do decreto.

A cheia já causa prejuízo na Zona Rural e Urbana do município, e transtornos aos agricultores e pecuaristas.

__________________________________

RELACIONADAS

+ Cidade de Juruá, no AM, decreta estado de emergência por conta da cheia do Rio Juruá

Careiro da Várzea, no AM, decreta situação de emergência por conta da cheia do Rio Solimões

+ Autazes, no AM, decreta situação de emergência por conta da cheia dos rios Autaz-Açú e Madeira

Eirunepé, no AM, decreta estado de emergência por conta da cheia do Rio Juruá

Careiro da Várzea, no AM, vai gastar R$ 1,8 milhão com passarelas de madeira por conta da cheia do Rio Solimões

__________________________________

"A subida dos rios vem causando sérios prejuízos como perda de bens materiais dos moradores do município principalmente na infraestrutura das residências, órgãos públicos e setor primário como: perda de plantações de subsistência, culturas primárias e permanentes, criações de animais de pequeno, médio e grande porte, além dos transtornos para manter a salvo esses animais."

Iranduba

O município já tem 13.288 pessoas afetadas com a subida dos rios Negro e Solimões. A situação de emergência foi decretada por 180 dias. 

A subida dos rios já vem causando inundações em áreas de várzea em todo o município. Além de bairros, ramais e comunidades ribeirinhas.

Maués

A situação de emergência por conta da subida dos rios em Maués foi declarada por 90 dias.

Assim como em outros municípios, a chuva que vem caindo na região amazônica vem aumento o nível do rio, e causando alagações.

A Defesa Civil ainda está realizando o levantamento das famílias afetadas pela cheia.

Foto: Divulgação/Defesa Civil de Maués- Subida dos rios já causa alamento no município. 

Foto: Divulgação/Defesa Civil de Maués- Subida dos rios já causa alamento no município. 

Foto: Divulgação/Defesa Civil de Maués- Subida dos rios já causa alamento no município.

Urucurituba

A situação de emergência por conta da subida dos rios Negro e Solimões em Urucurituba foi declarada por 90 dias.

De acordo como o secretário da Defesa Civil do município, Denival Ramos da Silva, o município já tem 1.609 pessoas afetadas com a enchente.

"A cheia já afeta 4 bairros, 2 estradas na área urbana, são 175 famílias e 43  comunidades na Zona Rural afetas diretamente. Na Zona Urbana são 1.434 famílias afetadas", comentou Denival Ramos.

A subida dos rios resultaram em danos humanos, matérias, ambientais, prejuízos econômicos e sociais principalmente na saúde da população, habitação e educação do município.

Segundo a Defesa Civil está faltando 0,28 metros para atingir a cota da maior enchente registrada no município de 15,01 metros ocorrida em maio de 2021. No dia 12 de maio a cota chegou a 14,73 metros.