image


Cheia

Jutaí, no AM, decreta situação de emergência por conta da cheia do Rio Jutaí

Quatorze casas já foram atingidas por conta da erosão, uma residência foi completamente destruída
image Crédito: Divulgação/ Defesa Civil de Jutaí- Erosão na orla do município de Jutaí
Fonte: Ana Kelly Franco - Há 4 semanas

A Prefeitura de Jutaí, a 751 Km de Manaus, decretou situação de emergência por 180 dias em função da cheia do Rio Jutaí.

O decreto de nº 011/2022 foi assinado no dia 9 de maio, pelo prefeito Pedro Macário Barboza, e publicado no Diário Oficial dos Municípios (DOM) na edição de terça-feira, 10.

Envie esta notícia no seu Whatsapp

Envie esta notícia no seu Telegram

Além de Jutaí, 20 municípios já decretaram situação de emergência por conta da subida dos rios no interior do Estado. A enchente tem causado vários prejuízos aos moradores do município.

De acordo com a Defesa Civil de Jutaí, 14 casas já tiveram danos materiais, sendo que uma foi derrubada por conta da erosão.

"A orla da Cidade de Jutaí está sob constante erosão colocando em risco a vida das pessoas que moram e trafegam nas referidas áreas, desses desastres, que resultaram em danos materiais e ambientais e os prejuízos econômicos e sociais", diz um trecho da decreto.

__________________________________

RELACIONADAS

+ Cidade de Juruá, no AM, decreta estado de emergência por conta da cheia do Rio Juruá

Careiro da Várzea, no AM, decreta situação de emergência por conta da cheia do Rio Solimões

+ Autazes, no AM, decreta situação de emergência por conta da cheia dos rios Autaz-Açú e Madeira

Eirunepé, no AM, decreta estado de emergência por conta da cheia do Rio Juruá

Careiro da Várzea, no AM, vai gastar R$ 1,8 milhão com passarelas de madeira por conta da cheia do Rio Solimões

__________________________________

Foto: Divulgação/ Defesa Civil de Jutaí- Erosão na orla da cidade

Erosão

Em outubro de 2021, por conta da estiagem, a prefeitura decretou situação de emergência. O período de vazante causou erosões e outros prejuízos em torno do município.

Seis meses depois, o município apresenta o mesmo prejuízo com a subida do rio.

A Defesa Civil local vem acompanhando a erosão desde janeiro de 2020 e interditou a Rua 7 de março até a rua Belo Ferreira por apresentar danos nas estruturas por conta da erosão.

"Alguns pontos da cidade estão em situação de erosão de margem fluvial, como atrás da feira municipal e bambuzal. O registro erosivo dos banzeiros sobre as margens, embora difícil de reconhecer e quantificar, não pode ser desconsiderado como agente que atua de forma direta na erosão lateral, vez que mesmo possuindo pouco poder abrasivo quando deslocado em baixa intensidade, ainda assim, sua ação acontece a quase todo momento devido ao contínuo fluxo de embarcações pelo rio", diz um trecho.

Segundo o levantamento da Defesa Civil, a erosão da terra danificou 4 imóveis, sendo que um foi destruído por conta do deslizamento e erosão fluvial na Zona Urbana da Orla da Cidade. 

Dez imóveis foram derrubados parcialmente na rua sete de março, e beco João Coelho, por conta de erosão da encosta próximo das residências.

A gestão ainda está fazendo o levantamento da quantidade de pessoas afetadas.

Veja as fotos da cheia no município:

Foto: Divulgação/ Defesa Civil de Jutaí- Cheia no município de Jutaí

Foto: Divulgação/ Defesa Civil de Jutaí- Cheia no município de Jutaí